A ciência afirma que pessoas que falam com os seus animais de estimação são mais inteligentes do que os que não o fazem

Se és daqueles que gosta de conversar com o teu cão de estimação sobre um colega de trabalho chato ou discutir a escolha do jantar com o teu gato, podes suspirar de alívio. Não é sinal de loucura como o teu namorado(a) ou os teus pais podem suspeitar. A ciência afirma que conversar com os nossos amigos peludos é na verdade um sinal de outras qualidades importantes.

Ficámos tão interessados neste neste estudo que até descobrimos mais coisas interessantes.

Os animais de estimação são os nossos melhores amigos. Eles estão sempre perto de nós, fornecendo o apoio e a ajuda necessários. E não é de admirar que às vezes sintamos a necessidade de compartilhar os nossos sentimentos e pensamentos com eles. Mas há também uma explicação apoiada pela ciência sobre essas conversas que temos com aqueles que talvez não sejam capazes de nos entender, como os nossos amigos peludos.

Os pesquisadores chamam esse fenómeno de antropomorfismo. Felizmente, eles confirmaram que não há necessidade de chamar um médico. A tendência de atribuir emoções e características humanas a objetos não humanos é baseada na inteligência e na criatividade, e não na indelicadeza ou estupidez. “Na verdade, é um subproduto natural da tendência que torna os humanos excepcionalmente inteligentes neste planeta”, afirma Nicholas Epley, um dos cientistas.

Se formos mais ao fundo da questão, entenderemos que essa história realmente começa na infância. As crianças são capazes de criar amigos do nada. E achamos que toda a gente provavelmente se lembra de ter que levar todos os seus ursos de peluche, coelhos e carros para a cama, para que ninguém ficasse melindrado. Os pais costumam adorar esses sinais de lealdade, amizade e comunicação nos seus filhos.

Mas tudo muda quando crescemos. Acredita-se que esse traço tem de ser deixado para trás e que isso é algo que temos de superar. Se observamos um adulto a falar sozinho, quando está a olhar para o telemóvel ou computador, por exemplo, podemos começar a pensar que talvez não esteja bom da cabeça.

No entanto, não há diferença entre conversar com objetos sem vida e conversar com os nossos animais de estimação. Por exemplo, Nicholas Epley, um dos cientistas, discute uma interessante pesquisa realizada pelo programa de rádio “Car Talk”. Observou-se que quanto mais as pessoas gostavam dos seus carrosmais pareciam ter uma mente sã, crenças, desejos e até mesmo personalidade bem definida.

Sendo assim, podes agora ter a certeza de que não tens de te preocupar. O teu hábito de contares ao teu animal de estimação como foi o teu dia, é realmente uma coisa natural e normal, e isso significa apenas que o teu cérebro está a funcionar correctamente. Então, da próxima vez que estiveres na rua com os teus amigos peludos, podes ignorar os olhares surpresos das pessoas que passam. Eles estão simplesmente com inveja da tua inteligência e enorme cérebro!

Comentários
Loading...