15 coisas malucas que são consideradas normais em outros países

Cada país tem as suas próprias leis, tradições, regras e características específicas que podem parecer estranhas e até mesmo chocantes para as pessoas de outras culturas. Por exemplo, você sabia que as mulheres na Índia podem casar-se com uma árvore? E não é porque sejam loucas pela natureza. Ou que na Coreia do Sul os bebés assumem logo um ano de idade à nascença? Ou que a Austrália multa os cidadãos que não comparecem às eleições?

O nosso mundo é incrível e único e é isso que lembramos hoje aos nossos leitores. Veja agora 16 coisas que confirmam essa afirmação.

15. Algumas mulheres na Índia casam-se com árvores.

A razão para essa estranha tradição é que, na astrologia védica, acredita-se que as pessoas que estão sob a forte influência de Marte não nasceram para viver casamentos felizes. Essas pessoas são chamadas de manglik e existem até zonas especiais em sites de relacionamentos onde os mangliks se podem misturar uns com os outros. Acredita-se que um manglik é capaz de neutralizar a influência de outro.

No entanto, a situação é mais difícil para as mulheres manglik porque as pessoas na Índia acreditam que uma esposa com a perigosa influência de Marte no seu horóscopo pode piorar a saúde do seu marido. É por isso que essas mulheres são instruídas a se “casarem” primeiro com uma árvore para que a “maldição de Marte” passe para a árvore. Após a cerimónia, a árvore é cortada e queimada e a mulher é autorizada a casar-se com um homem.

Estranho o suficiente, mas os homens manglik não precisam passar por nenhum ritual. Aparentemente, os indianos acreditam que são apenas as esposas que podem afectar a saúde e o destino dos seus maridos.

14. Os sundaneses da Indonésia usam por vezes folhas de bananeira em vez de pratos.

A mesma tradição existe em outros países de clima quente, mas em algumas partes da Indonésia, uma folha de bananeira serve como base para várias pessoas ao mesmo tempo. Esta prática é chamada de botram, que significa literalmente “comer juntos”.

Pessoas de posições sociais completamente diferentes podem comer da mesma folha: um taxista, um governador, um desempregado, um professor, o presidente da cidade, etc. Acredita-se que o botram une todas as pessoas, independentemente da sua origem. Os talheres também não são usados ​​durante esta refeição – come-se com as mãos.

13. Há um culto de deusas vivas Kumari no Nepal e é composto por garotinhas.

As pessoas no Nepal acreditam que a deusa hindu Taleju tem uma encarnação terrestre em meninas cujos corpos ela por vezes possui. O processo de procurar Kumari (a deusa viva) parece o processo de busca das novas encarnações do Dalai Lama. É feito por astrólogos e monges – eles procuram os Kumari entre a casta Shakya na comunidade de Newari.

Existem vários Kumari no país, mas o mais famoso é o Royal Kumari, que vive em Katmandu. O processo de selecção consiste em vários rituais estritos, após os quais o escolhido se instala num palácio onde recebe visitantes com presentes que esperam que a deusa viva lhes envie bênçãos para uma boa saúde, bem como soluções para todos os seus problemas.

12. As pessoas em Israel constroem habitações temporárias chamadas sukkahs para viverem lá durante a celebração do Sukkot.

É costume em Israel construir abrigos temporários chamados sukkah em pátios ou em varandas. Estes são construídos em memória das peregrinações dos judeus no deserto de Sinai antes do início das festas de Sukkot. Considera-se um dever sagrado. Deve-se passar o maior tempo possível dentro do sukkah  durante a semana das celebrações – coma lá, descanse e ore por lá. Se viver lá não for uma opção, fazer as refeições dentro de um sukkah duas vezes por dia é obrigatório.

11. Os recém-nascidos na Coreia do Sul assumem logo um ano de idade à nascença.

Os recém-nascidos na Coreia do Sul e em alguns outros países assumem logo um ano de idade à nascença. Além disso, acredita-se que uma pessoa se torna um ano mais velha, não no seu aniversário (embora isso também seja comemorado), mas no primeiro dia do Ano Novo Lunar.

Então, se uma criança nasceu no 29º dia do 12º mês de acordo com o calendário lunar, isso significa que completará 2 anos de idade no primeiro dia do Ano Novo Lunar, quando, na verdade, tem apenas alguns dias de vida.

Os calendários gregorianos contemporâneos, assim como a medição contemporânea da idade, também são usados ​​na Coreia. Eles usam esses dados ao preencher vários documentos e essa idade é usada para definir quando começam a escola ou quando se podem casar legalmente.

10. O metro passa por um bloco de apartamentos, na China.

Existe uma solução arquitectónica extremamente atípica que você pode ver na cidade chinesa de Chongqing – a estação de metro de Liziba está localizada dentro de um edifício residencial. Aas carruagens passam por ele no nível do 6º andar e essa situação tem atraído várias reacções – desde admiração a indignação. Parece que esta solução também foi usada no Japão.

9. Restaurantes de fast food nas Filipinas vendem porções enormes.

A razão para isto suceder não é porque os filipinos sejam gulosos, mas porque muitas pessoas gostam de almoçar na companhia de amigos. Existe até uma palavra especial para estas porções: barkada. Portanto, não fique surpreso se você observar uma porção de batatas fritas para 6 pessoas no cardápio do McDonald’s nas Filipinas.

A propósito, há uma situação semelhante na Arábia Saudita, onde restaurantes de fast food estão preparados para famílias grandes. Por exemplo, você pode facilmente ver uma cesta de asas de frango suficiente para alimentar 10-15 pessoas no menu do KFC local.

8. No Paquistão uma família inteira pode caber em em cima de um motocicleta.

Esta situação não é segura nem confortável, mas pode ser vista com bastante frequência no Paquistão e em muitos outros países. Essas fotos geralmente são ridicularizadas na Internet, mas na verdade são algo em que devemos pensar. Às vezes, a pobreza não oferece às pessoas outra opção senão fazer coisas estranhas e muitas vezes perigosas.

7. Os egípcios têm um conceito completamente diferente das regras de trânsito.

Você pode conduzir/dirigir como quiser no Egito e é improvável que a sua carta de condução seja revogada. Naturalmente, esse tipo de comportamento no trânsito cria engarrafamentos, situações de emergência e muitos perigos para quem se desloca de bicicleta ou a pé. Oficialmente, as regras de trânsito no Egito são as mesmas que em todo o mundo, mas a verdade é que os policiais não prestam muita atenção a essas violações.

6. As pessoas em Itália organizam batalhas de laranjas.

Todos os anos, em fevereiro ou no início de março, o Carnevale d’Ivrea é realizado envolvendo a tradicional batalha de laranjas. As pessoas atiram laranjas umas às outras como se fossem bolas de neve. Qual o motivo de serem laranjas, você pergunta?

Segundo alguns historiadores, esta batalha é o símbolo de uma revolta popular contra o despotismo dos senhores. Mas há uma versão mais interessante sobre uma garota chamada Violetta que se protegeu de um governante tirano local que iria usar seu direito da primeira noite. Guardas tentaram prender Violetta, mas os cidadãos salvaram  a moça atirando pedras contra os guardas. Hoje, as laranjas simbolizam essas pedras.

Embora essa tradição tenha seus oponentes (o que não surpreende, pois 350 toneladas de laranjas são desperdiçadas no espaço de 3 dias do evento), o número de participantes do festival incomum aumenta ano após ano.

5. Os residentes da Grã-Bretanha são forçados a comprar uma licença de TV separada para cada aparelho de TV que tenham em casa.

A BBC é uma emissora de televisão pública e é financiada por taxas de licenciamento pagas por cidadãos que possuem TVs e outros dispositivos, onde podem assistir a transmissões ao vivo, como computadores, laptops, smartphones, tablets e até mesmo consolas de jogos.

Esta licença custa 145,50 libras esterlinas por ano e os residentes têm que comprá-la ou rejeitá-la com uma solicitação por escrito explicando o seu motivo para não assistir TV. Caso contrário,podem ser contemplados com uma multa enorme. É impossível rejeitar o serviço e assistir a programas de TV ilegalmente – existe um serviço especial chamado Divisão de Execução (você pode ver o veículo antigo deste serviço na foto acima) que irá a sua casa sem pré aviso.

4. Existe um imposto de igreja na Alemanha.

Kirchensteuer – é uma taxa de igreja que é imposta aos paroquianos de algumas comunidades religiosas na Alemanha. Igrejas católicas romanas, igrejas evangélicas, uma sociedade religiosa unitária de protestantes livres e comunidades judaicas estão entre elas.

O valor do imposto é fixado em 8-9% do valor do imposto de renda. Por exemplo, se um paroquiano paga 10.000 euros em imposto de renda por ano, eles terão que pagar 800 euros à igreja. Além disso, esse imposto pode ser aplicado a dividendos e ao dinheiro obtido com a venda de propriedades.

Um contribuinte tem o direito de deixar a igreja e recusar-se a pagar o imposto, para o qual eles precisarão preencher um aviso especial. Aqueles que se recusarem a pagar o imposto podem ser excomungados. Além disso, podem figurar na lista negra e ser assim impedidos de trabalhar em algumas organizações da igreja, como escolas ou hospitais.

3. As pessoas na Austrália são multadas por não votar.

Enquanto algumas pessoas no mundo reclamam dos resultados de uma eleição e declaram que não participam no processo, a Austrália é um país onde as pessoas são obrigadas a pagar uma multa por não participarem na eleição. A multa não é enorme, mas ainda assim é uma penalidade. Por exemplo, em 2010, 6.000 pessoas não compareceram às eleições na Tasmânia e cada uma delas foi multada.

2. No Canadá, o leite é vendido em sacos plásticos transparentes.

Sim, no Canadá o leite é vendido em sacos plásticos transparentes.

1. Na Bolívia, há um grupo de lutadoras que usam roupas coloridas. São chamadas de cholitas.

A ideia de recrutar várias mulheres bolivianas para participarem em competições de luta livre partiu de Juan Mamani, o gerente de uma equipe chamada Titans of the Ring. Juan ficou intrigado com a circunstância de as vendas de bilhetes para as lutas terem caído a pique em 2001. Mamani colocou um anúncio no jornal local sobre uma vaga no seu grupo de lutadores, para sua surpresa, parecia haver muitas beldades locais dispostas a ganhar dinheiro com a ajuda dos seus punhos.

Ao contrário dos lutadores masculinos que lutam com roupas confortáveis ​​e específicas para a prática, estas mulheres lutam nos seus trajes nacionais – saias exuberantes, blusas brilhantes, sapatos e chapéus de feltro. Além disso, não há atletas profissionais entre as cholitas; muitas vezes, elas têm que combinar a luta no ringue com os cuidados da sua casa e outras responsabilidades.

Comentários
Loading...