Estudo indica que quem se apaixona fica mais feliz, mas menos inteligente

Em média, os homens apaixonam-se mais rapidamente do que as mulheres, e geralmente são também os primeiros a dizer: “Eu amo-te”. Bom, é assim que geralmente tudo começa, mas logo após as duas pessoas se apaixonarem, tendemos a seguir o mesmo caminho, muitas vezes perdendo a cabeça por um tempo, pelo menos durante o pináculo da paixão. Professores da Universidade de Leiden sugerem que as pessoas apaixonadas têm menos controle sobre as suas ações e realizaram algumas pesquisas para verificarem se isso corresponde mesmo à verdade.

A maioria das pessoas talvez já tenha experimentado a sensação de que algo estaria errado com elas quando apaixonadas. Será o amor verdadeiramente cego?

O primeiro estágio do relacionamento é o da paixão, é o sentimento responsável pela atração entre duas pessoas. Os cientistas dizem que, quando se apaixonam, as pessoas experimentam mudanças intensas nas suas emoções. Isso faz com que a alegria e a euforia tome conta de nós, o que nos torna pessoas muito mais felizes.

O amor influencia as nossas habilidades mentais.

Os pesquisadores dizem que estar apaixonado também afeta as nossas habilidades mentais. A fim de verificarem isso mesmo, realizaram uma experiência social com 43 jovens apaixonados de entre 1 a 6 meses. Foi solicitado aos participantes que fizessem vários testes antes e depois de serem colocados num “ambiente amoroso”, sendo induzidos a pensar nas suas almas gémeas e a escutarem música romântica. Enquanto estavam na “onda” romântica, os testes resultaram em piores resultados.

Curiosamente, o efeito é o mesmo tanto para homens quanto para mulheres. Portanto, tem influência em todos nós e reduz as nossas habilidades de várias maneiras, não apenas com algum tipo específico de tarefa. Os pesquisadores dizem que esse é um aspecto importante do estágio inicial de um relacionamento romântico – tornamo-nos obsessivamente atentos ao nosso amado(a), mas a nossa concentração em nas tarefas diárias mais simples, bem como em trabalhos ou estudos, é mais reduzida. Talvez aqui esteja a explicação para o nosso comportamento mais estranho durante esse período.

Boas notícias – é apenas temporário.

Com o tempo, o amor de paixão diminui e transforma-se em amor companheiro, que está associado ao compromisso e contribui para a manutenção de relacionamentos de longo prazo. Após a transição para um relacionamento mais estável, o autocontrole das pessoas aumenta novamente e elas voltam a ser capazes de pensar de forma clara e consciente, contribuindo para o relacionamento de forma mais positiva e ponderada.

Comentários
Loading...