Estudo sugere que o irmão mais novo é o mais engraçado

Tu és único e esse é o teu grande tesouro. Se nasceste e cresceste com um ou mais irmãos, vocês são provavelmente muito diferentes, mesmo tendo vivido desde sempre no mesmo ambiente. Existem inúmeros pequenos factores que nos influenciam a todo o momento, e um desses factores é inclusive a nossa ordem de nascimento, dizem os psicólogos.

Aqui na Bastante Interessante, sabemos perfeitamente quem é o pateta da família, e agora temos provas científicas para isso. E – realmente – não temos ideia do que faríamos sem os nossos irmãos mais pequenos, que são um verdadeiro raio de luz todos os dias!

A ordem de nascimento molda as nossas personalidades.

O psicoterapeuta Alfred Adler sugeriu que a ordem de nascimento e os nossos irmãos exercem um grande impacto sobre nós e desempenham um papel na formação das nossas personalidades. Embora as crianças criadas na mesma família cresçam num ambiente semelhante, as condições psicológicas são muito individuais por causa da ordem de sucessão.

O mais novo é geralmente o mais brincalhão

Esta questão sempre suscitou muito interesse na comunidade científica. Um dos estudos recentes sobre o tópico foi conduzido pela YouGov, uma empresa britânica de pesquisa de mercado. 1.782 pessoas, com 18 anos ou mais, participaram no estudo no qual lhes foi solicitado que se comparassem com os outros irmãos em diferentes parâmetros, como ser responsável, descontraído, de trato fácil, engraçado etc.

Acabou por se concluir que uma das diferenças mais drásticas foi a sensação de ser engraçado. As crianças mais novas tendiam a dizer que eram mais engraçadas que os seus irmãos (46%), além de mais relaxadas (47%) e descontraídas (42%). As crianças mais velhas, por outro lado, consideravam-se mais responsáveis ​​(54%), mais organizadas (54%) e mais bem-sucedidas (38%).

Os pesquisadores que desenvolveram a teoria sugerem que todas as crianças procuram um nicho na sua família, e é nesse nicho que a personalidade da criança toma forma. Portanto, os filhos primogénitos têm o privilégio de encontrar o seu nicho primeiro, e geralmente definem o seu papel como responsável e mais consciente, tentando agradar aos seus pais e também sentindo-se responsáveis pelos seus irmãos mais novos.

Os filhos mais novos, portanto, estão constantemente a tentar resistir ao estatuto mais elevado do primogénito e buscam formas alternativas de auto-expressão. Como eles não podem ser tão responsáveis ​​e obedientes, tentam distinguir-se de outras maneiras e geralmente tornam-se mais emocionais, criativos e engraçados.

Os filhos do meio nunca tiveram o privilégio de serem filhos únicos, como costumava ser o filho mais velho, e também não recebem a mesma atenção que o irmão mais novo, de modo que geralmente sentem inveja. É mais provável que eles sejam os rebeldes da família, mas também aprendem habilidades valiosas que os ajudam a conviver com as pessoas com facilidade, de modo que geralmente são muito sociáveis.

Ser filho único também é um caso diferente. Essas crianças têm toda a atenção dos seus pais e não precisam de a partilhar com ninguém, para que possam ser mimadas. Ao mesmo tempo, recebem todo o apoio de que precisam e viveram sempre rodeados de pessoas mais velhas, o que as torna muito inteligentes e motivadas, e é muito provável que tenham sucesso no futuro.

Comentários
Loading...