Mulheres solteiras e sem filhos são bem mais felizes. (Provado por cientistas!)

Como deveria ser, ou é, a felicidade? Quase todos nós temos a nossa própria noção de felicidade e com isso a nossa própria resposta a essa questão. Porém, pesquisadores que estudam o fenómeno da felicidade humana argumentam que existem muitas tendências que se aplicam à generalidade das pessoas.

Uma dessas tendências, aparentemente, pode não agradar muito ao género masculino, isto porque, de acordo com alguns estudos, o grupo de população mundial mais feliz é composto por mulheres solteiras e sem filhos. Note que, não se trata de jovens mulheres e adolescentes, que simplesmente ainda não tiveram tempo para tal, mas sim de mulheres que decidiram não carregar esse “peso” que é a criação de uma família.

Uma das pessoas que procura chegar ao fundo da questão da felicidade humana é o professor de ciências comportamentais Paul Dolan, docente da London School of Economics. Este decidiu conduzir um estudo no qual foram entrevistadas diferentes categorias de pessoas, com diferentes estados conjugais: pessoas casadas, solteiras, divorciadas e viúvas.

O estudo permitiu concluir que o grupo de pessoas casadas demonstra a maior taxa de felicidade, mas apenas quando estes têm que responder à questão na presença dos parceiros(as). As respostas recebidas em particular com os pesquisadores são bem diferentes e reflectem um nível significativamente mais baixo de felicidade, inclusive menor que o das pessoas solteiras.

Dolan acredita que este resultado se deve à falta de problemas e responsabilidades que acompanham o casamento e o nascimento dos filhos.

As mulheres modernas são muito mais independentes do que no passado. Porém, ainda existe um enorme desequilíbrio, numa sociedade onde se promove que: as meninas devem ser preparadas para os serviços de casa e os meninos para uma maior independência.

Hoje em dia, quando chegam à idade adulta, as mulheres são muito mais “desenrascadas” fruto da educação que tiveram e do que a sociedade lhes incutiu. Algumas decidem mesmo dar mais atenção às carreiras profissionais do que propriamente a uma vida de dona de casa. Umas por necessidade, outras por opção.

É claro que, apesar de os estudos demonstrarem que mulheres solteiras e sem filhos são mais felizes, o cenário é completamente o oposto. A maioria das mulheres ainda sonha em ter uma família feliz, continuando na sua maioria a assumir as “despesas” da organização do lar. Não querendo isto dizer que não seja possível uma mulher constituir família e ainda assim ser feliz na mesma.

Hoje em dia, é possível e muitas vezes obrigatório, aliar a carreira profissional com a vida doméstica, e nestes tempos de mudança, cada vez mais as tarefas são divididas entre homem e mulher.

O conceito de “felicidade” em casal não pode estar separado do conceito de “amor”, em nossa opinião. Quando duas pessoas se amam de verdade, elas conseguem encontrar o caminho certo para conciliar a vida familiar com a profissional e serão felizes em qualquer circunstância.

Mas, na essência, o estudo pretende acender uma luz sobre o comportamento das pessoas que entram ou não em relacionamentos, guiados por estereótipos, normas e opinião pública.

Basta pensar em nós próprios, quando encontramos, por exemplo, uma mulher de 40 anos que nunca foi casada nem tem filhos, provavelmente acabamos por sentir alguma consternação por ela. Muitas pessoas, inclusive, acabarão por tentar encorajá-la a procurar outra pessoa. É a chamada pressão da sociedade, aquela ideia de que uma pessoa sozinha não será feliz.

Mas nesse momento ela pode ser muito mais feliz que muita gente, inclusive os que a “aconselham” a procurar alguém. Ela sustenta-se a si mesma, é responsável apenas por si mesma, e se deve algo a alguém, ela também será responsável apenas por si mesma. O principal é não ceder ao julgamento público.

Além disso, são diversas as estatísticas mostrando que as mulheres solteiras e que não têm filhos vivem mais do que aquelas que têm cuidar da família.

Se uma mulher sonha em tornar-se mãe mais do que qualquer outra coisa na sua vida, então, nenhuma conversa sobre a solidão pacífica e brilhante a acalmará. A ideia principal aqui, é que cada um tem a sua noção de felicidade e é feliz à sua maneira.

O mundo à nossa volta muda a cada segundo, temos de nos habituar a este dinamismo, na esperança de encontrar a felicidade, sempre sem impedir que os outros encontrem a sua própria felicidade.

Abra a sua mente para novos pensamentos e ideias! Não deixe de compartilhar este artigo com os amigos, mas antes de tudo, com todas as mulheres solitárias.

Comentários
Loading...